terça-feira, 9 de abril de 2013

Tumba Vazia

Ele não está aqui, porque já ressuscitou, como havia dito. Vinde, vede o lugar onde o Senhor jazia”. Mateus 28.6 

Quando falamos de Jesus Cristo nos lembramos de todos os seus feitos e dos seus ensinamentos. Porém, um feito que se observou é a marca indelével da sua origem sagrada, esse feito é a ressurreição. E a prova está lá; a tumba vazia. 

Ao contrário daqueles que visitam os túmulos de seus deuses, nós podemos atestar que o do nosso está vazio. Nunca um vazio significou tanto, a ausência de algo mostrando a grandiosidade da Sua vinda e principalmente da Sua volta ao lar. Ele chegou, cresceu, estudou, ensinou, se doou morrendo por nós, porém, ressuscitou deixando o sepulcro vazio. Essa ausência constatável constrange e deixa sem respostas aqueles que não creem, sendo que muitos tentam dar as mais estapafúrdias explicações sobre esse fato. Mas, sobre esse fato não há explicações, há sim tão somente “constatações.”

“Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo.” Apocalipse 3:20

Nunca “um vazio” foi tão importante. E esse vazio pode ser o mesmo vazio do seu coração, que ainda não atentou para um dos resultados maravilhosos do fato de Ele não estar mais lá na tumba. Esse resultado é justamente a possibilidade de Ele “preencher” esse outro vazio habitando nos corações daqueles que o deixarem entrar. Ele não invade nem arromba, não se impõem. Ele gentilmente bate à porta dos corações e pede para entrar. E para aqueles que abrirem a porta, Ele se alimentará junto com o seu hospedeiro, o que significa que ele será como alguém que habita em sua casa, comendo à mesa com ele. Além de cear, Ele alimentará o espírito daquele que o receber. Vejam que esse vazio sepulcral, o de sua tumba, acabou sendo o abastecimento do “nada” daquelas vidas que se sentem vazias, pois a partir de sua ressurreição Ele passou a habitar aqueles que o aceitam em seu espírito preenchendo esse vazio existencial. 

“Porque a sabedoria deste mundo é loucura diante de Deus; pois está escrito: Ele apanha os sábios na sua própria astúcia.

E outra vez: O Senhor conhece os pensamentos dos sábios, que são pensamentos vãos”. I Coríntios 3:19-20.

Cientificamente querem confirmar a existência do bóson de Higgs, que explicaria a formação do mundo a partir do nada. A pergunta constante entre os filósofos e cientistas através dos séculos é: “Porque há algo ao invés de nada?” Nessa resposta está o tudo que a humanidade procura. Essa resposta está tão fácil e tão bem respondida no manual do fabricante (a Bíblia), mas para muitos, principalmente alguns pesquisadores, essas respostas bíblicas são simples demais e não satisfazem as mentes perscrutadoras que querem respostas cientificas daquilo que se obtém espiritualmente. Como explicar a tumba vazia? Só no mundo espiritual encontramos as respostas. 

E aí seremos como sepulcros caiados e vazios? Bonitos por fora e vazios por dentro? Não precisamos andar a procura dos melhores “recheios” para o nosso coração, pois por mais contraditório que pareça, o vazio da tumba é o nosso preenchimento. Pelo vazio da tumba podemos preencher nosso espírito de fé e de esperança. 

Para os crentes, Deus está no princípio das coisas. Para os cientistas, no final de toda reflexão. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário